crônicas


Corações Partidos

Ilustra da Carolina Carmo Corações partidos nunca se curam. Não importa o tamanho da fissura, nunca se cura. Há rachaduras fundas e inundadas de mágoas que te fazem lembrar todos os dias da pedra que te atingiu ou do caminhão que te atropelou. Com o tempo ela lateja com menos frequência, mas sempre na mesma intensidade. Sempre lá, te lembrando das vezes que você foi […]


A esquina da Maccal

Passei boa parte da minha infância/adolescência numa cidade que fica na divisa do Maranhão com o Tocantins, Carolina. Eis que na foto á cima (em péssima qualidade, eu sei, mas ela precisa estar aí.) você está visualizando o ‘point’ da pegação no auge dos meus 13 anos. Funcionava assim: ia o casal de esquema, que muitas vezes não trocava sequer uma palavra antes de chegar […]


Uma conversa em banheiro feminino

Depois de algumas cervejas, duas amigas vão ao banheiro. Juntas, é claro. Cada uma entra em uma cabine e começam a conversar em voz alta. _ A Juliana ficou com o Marcinho. E ó, ela disse que ele não tem o pinto tão pequeno assim não?! _ O quê?! Como assim! Aquele cara não conseguiu nem me fazer cócegas! _ Ela disse que ele não […]


Covardia

Colagem de Singh Bean Eu não acho que a covardia seja de todo condenável. É um mecanismo de defesa como todos os outros. Também não to dizendo que é uma coisa boa. Não acho bonito, só acho natural.


Maria Flor

Ilustração da Amanda Daphne Tinha o olhar confiante, de quem não se importa com os olhares alheios. Olhares como o meu. Não sabia o nome nem sua história, mas sentia como se a conhecesse de uma vida inteira.


Exagerada, mas nunca aos seus pés 2

Ilustração de Amanda Roosevelt Eu sou mesmo exagerada. Adoro um drama inventado. E o motivo é simples: só gosto de viver quando é de muito. Como muito, corro muito, falo muito, choro muito, estudo muito, amo muito, me entrego muito, sonho muito. Tudo muito. Não sei ser pouca. Há quem não goste, o que não é problema meu. Eu continuo sendo bastante, transbordando. Sentindo como […]


O dia em que eu liguei o foda-se 5

Era um dia lindo de sol, cheio de passarinhos cantando e borboletas voando. Lá estava eu cumprindo meu papel de boa moça, sendo discreta e entoando uma música tal e qual uma princesa da Disney. Esperando o príncipe encantado e acreditando que estava seguindo o script de andar na linha e ser tudo que eu precisava ser: linda e comportada! Mas algo mudou meu rumo. […]


A mulher da própria vida 2

Foto de Alaska Ferreira Passou a vida acreditando que tinha que ser discreta, frágil e ter poucos amantes. Falar baixo, ser vaidosa e não chamar atenção. Dama na sala puta na cama, sexy sem ser vulgar. Nada muito curto nem muito decotado, nada de maquiagem muito chamativa e sovaco sempre depilado.