Ser Barata 4


ser-barata

Tinha uma barata em cima da cama, a barata era ela. Risos. Essa era a piada, ser chamada de barata. E aparentemente as pessoas achavam graça disso.

Engole o choro, finge que não se importa. Se importar é frescura, é fraqueza.

Levanta a cabeça e disfarça o fato de não ser a melhor em nada. Fala alto, se finge de engraçada, se torna uma grande babaca. Joga toda merda pro ar, quando se sujar todo mundo vai olhar: presta atenção, tô aqui cheia de bosta pelo corpo.

Presta atenção! Cresce e percebe que o olhar dos outros não te define.
Puta que pariu, já definiu!

Olha pro espelho e não se reconhece, quer morrer. Mas baratas tão grandes não morrem com veneno. Leva pancada na cabeça, levanta a barriga pra cima e se finge de morta.

Talvez seja isso que todas as baratas tem em comum: falta de coragem e amor próprio.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 pensamentos em “Ser Barata