Covardia


"livro-os-cavaleiros-do-inverno"

Colagem de Singh Bean

Eu não acho que a covardia seja de todo condenável. É um mecanismo de defesa como todos os outros. Também não to dizendo que é uma coisa boa. Não acho bonito, só acho natural.

Tenho um amigo gay que covardemente não se assume…
Tenho uma amiga perdendo o tempo e a vida num relacionamento sem futuro que covardemente não põe um ponto final…
Tenho alguém próximo que covardemente se acomodou num empreguinho de merda por medo de não conseguir melhor…

O que eu faço em relação a essas pessoas?!
XINGO! Se xingo!
Porque todo mundo sabe dá palpite na vida alheia, e eu não sou diferente. Sem contar que ver alguém que se ama engolindo sapo e perdendo tempo é de lascar! Dá vontade de abrir aquela cabeça pra ver se entra alguma coisa.

Mas como eu disse anteriormente, a covardia é natural. Tanto que eu tenho segredos e mentiras que deveriam ser revelados e não são porque minha covardia não deixa. Quer prova mais concreta pra provar que algo é natural do que acontecer com a gente?!

Mas oh! Uma coisa eu garanto: poucas coisas são tão gratificantes do que se olhar no espelho, bater no peito e ver que se teve CORAGEM!

Pena que meu espelho tem presenciado cada vez menos essa cena…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *