A esquina da Maccal


maccal

Passei boa parte da minha infância/adolescência numa cidade que fica na divisa do Maranhão com o Tocantins, Carolina. Eis que na foto á cima (em péssima qualidade, eu sei, mas ela precisa estar aí.) você está visualizando o ‘point’ da pegação no auge dos meus 13 anos.

Funcionava assim: ia o casal de esquema, que muitas vezes não trocava sequer uma palavra antes de chegar no devido local, e uma terceira pessoa pra ficar de vigia caso algum parente passasse por perto. A balburdia começava depois das oito da noite. Quebrava-se a lâmpada do poste da esquina, e ali no portão da Maccal rolavam os amassos. Algumas vezes os participantes nem se olhavam na cara depois disso, outras vezes só mandavam recado, combinavam o esquema e se encontravam na esquina outra vez para outro beijaço.

Havia regras alí. No máximo 3 ou 4 casais por vez. Quem quisesse se agarrar tinha que esperar na fila que ia se formando através do boca a boca na Praça do Hot. Primeiro ia um, depois outro pra não levantar suspeita, mas a verdade é que isso era uma grande merda porque em cidade pequena só quem não sabia o que tava acontecendo eram nossos pais mesmo. Ou sabiam e fingiam que não.

Precoce? Eu acho que não. Os beijos na esquina da maccal eram o mais inocente que beijos poderiam ser há quinze anos atrás. Me ensinou logo cedo que em algumas horas nada como calar a boca, dar uns amassos e permanecer calado.

Aí eu fico botando reparo nas crianças (sim! crianças!) de 13 anos hoje em dia, e simplesmente não me conformo. Na real acho que não conformo mesmo é com os pais dessas crianças. São sempre cheias de compromissos e pouca disciplina, preocupados sempre com o próprio umbigo. Como as crianças hoje em dia fazem para dar os beijinhos inocentes?!

Tenho vontade de sentar com esses pré-adolescentes e dar conselhos. Amiguinhos e amiguinhas: aprendam com os adolescentes daquele tempo, tipo eu, que se pegavam na esquina da Maccal com a única preocupação da mãe por acaso passar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *